quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Mafia esta proibida de enganar a populaçao

No ultimo dia 22 de agosto de 2014 - alguns dias apos o anuncio do adiamento do julgamento e a possivel transferencia para Belo Horizonte do Juri Popular, o Ministerio Publico Estadual entrou com um pedido de liminar e multa cominatoria contra a estrategia NAZISTA dos medicos, utilizada para adiar e tumultuar o julgamento aguardado ha mais de 13 anos.
Como notório, no dia 31 de julho do corrente ano de 2014 estava agendado para realizar-se, nesta Comarca, rumoroso julgamento envolvendo médicos de Poços de Caldas, perante o tribunal do júri.

Nos dias que antecederam este julgamento, foram veiculadas, nas mídias impressa e televisionada, tanto locais quanta de alcance regional e nacional, inclusive na grande mídia, informes publicitários patrocinados por entidades classistas dos médicos, em atitude popularmente rotulada como "corporativismo''. 

Dado esse bombardeio de informações, o Ministério Publico, verificando o comprometimento da verdade real, com contaminação da imparcialidade dos jurados já sorteados para o julgamento, decidiu requerer, ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o desaforamento do feito.
Muito bem! Todos estao dizendo que os medicos sao coitadinhos. Pessoas sem recursos com dificuldades financeiras em suas defesas. Mas o que podemos perceber é justamente o contrario. Este trecho da liminar revela:
(...) os fatos narrados demonstram claramente o grande poderio econômico dos réus e da associação da qual fazem parte e a influencia dessa forca sobre os jurados. Isso porque, como e cediço, espaços publicitários na mídia impressa, em matéria de capa, e, sobretudo, na mídia televisiva são vendidos por somas significativas de dinheiro. Em redes de televisão de alcance nacional, em especial em horários nobres, esse valor é deveras maior. As entidades medicas envolvidas, indubitavelmente, gastaram uma soma considerável para comprar espaços destinados a publicação de tais anúncios. Ao agir assim, as entidades supracitadas (conselhos e associações de medicina) influenciaram sensivelmente - ou, no mínimo, tentaram influenciar - a animo dos jurados sorteados para participarem do julgamento do dia 31 de julho. Como uma loja de departamentos, que vende seus produtos, quiseram "vender" a sociedade o r6tulo de inocentes.
Pela primeira vez na historia da medicina brasileira, os conselhos investiram tanto dinheiro para patrocinar a defesa, perante a sociedade, de um grupo de medicos acusados de matar uma criança com a finalidade de vender seus orgaos. Como ja afirmei em outros posts, este ja seria um bom motivo para que os Conselhos fossem investigados. O interesse é grande demais nesta causa. Vale lembrar que a medida tomada pela justiça nao resolve o problema. Seria necessario que o Ministerio Publico utiliza-se o direito de resposta e veiculasse na mesma proporçao a verdade dos fatos, levando a toda a populaçao a possibilidade de um julgamento correto dos fatos. Mas sabemos que o estrago ja foi feito e nos resta apenas lamentar.

Vale lembrar tambem o destaque na decisao do metodo NAZISTA utilizado pela mafia, de impor uma mentira até que a mesma se torne verdade.

Eis a decisao:
1. O MINISTÉRIO PUBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS, através dos ilustres Promotores de Justiça DR. EMMANUEL LEVANHAGEN PELEGRINI e DR. SIDNEI BOCCIA P. OLIVEIRA SA, apresentou MEDIDA CAUTELAR INOMINADA em face dos réus ALVARO IANHEZ, JOSE LUIS BONFITTO, JOSE LUIZ GOMES DA SILVA e MARCOS ALEXANDRE PACHECO, bem como em face da ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE POÇOS DE CALDAS OU ASSOCIAÇÃO DOS MÉDICOS DE POÇOS DE CALDAS e ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MINAS GERAIS, requerendo, em síntese a concessão de medida liminar e multa cominatória em face dos réus a fim de impedi-los de publicarem qualquer informe ou nota de esclarecimento até a realização da sessão do Tribunal do Júri referente aos autos n. 08.148802-6 (fls. 2/9), juntando documentos. 
DECIDO.
2. A principio, a meu JUIZO, entendo cabível o pedido ministerial, uma vez que, inexistindo procedimento especifico na lei processual penal, cabível, de forma supletiva, as normas regidas pelo Código de Processo Civil.

3. Em sendo a analogia um processo de auto-integração da lei consistente na aplicação a um fato não regido o pela norma jurídica, a aplicação analógica do CPC é perfeitamente possível no caso em exame, conforme disposto no artigo 3°, do CPP. Reiteradas decisões, inclusive do Pretório Excelso, confirmam a assertiva.

4. Consoante se verifica nas provas juntadas pelo órgão ministerial, os réus, antes da realização da Sessão do Tribunal do Júri designada para o dia 31 de julho de 2014, as 8h, nesta Comarca - autos n. 08.148802-6 - publicaram e inseriram inúmeras propagandas na TV, JORNAIS e RADIO, como por exemplo, notas de esclarecimentos dizendo que o CRMMG havia apurado e julgado os fatos e não teria verificado nenhuma infração ética em relação aos atendimentos realizados pelos médicos denunciados (ora réus nesta ação e outros), sendo que tal decisão havia, inclusive, ratificada pelo Conselho Federal de Medicina. Houve, ainda, publicações afirmando que a Justiça Federal havia constatada a inexistência de qualquer indicio de trafico de órgãos em Poços de Caldas, bem como outras inserções do mesmo tipo, tanto nos dias que precederiam o julgamento dos réus pelo Júri (26 e 27/7/14), quanto em datas anteriores neste mesmo ano, para tumultuar outros julgamentos e confundir a opinião publica, o que já havia resultado em ação enérgica por parte do Poder Judiciário.

5. Ora, os fatos noticiados demonstram o poder econômico e político arquitetado pelos réus na tentativa de influenciar os jurados e a sociedade poçoscaldense, sobretudo porque as propagandas foram pagas pelos réus e não condiziam com a verdade, como bem asseverou o Órgão Ministerial. Se revestem da maior gravidade, pois se a tentativa de influenciar o Poder Judiciário, representado por magistrados de carreira, não pode ser admitida no Estado Democrático e Constitucional de Direito, menos ainda quando se trata de juízes leigos, como no caso do Tribunal do Júri. Este, como é cediço, também é órgão da Justiça e se reveste das mesmas garantias. especialmente recomendadas em sede constitucional expressa. Que não se diga que a presente medida ofende o primado da liberdade de imprensa, pois evidente o abuso, com a veiculação das matérias pagas que "alem de não refletirem a verdade dos fatos sub judice, são parciais e maliciosas, estando totalmente fora do contexto", como bem asseverou o autor, ora requerente. O conflito é aparente pois as medidas que se pretende obter vão, ao contrario, garantir não só a liberdade de imprensa, como também o principio da soberania do Júri e de seus veredictos, ambas normas insculpidas em matriz constitucional.

6. Para a concessão da liminar e preciso verificar a existência de dois requisitos, quais sejam: O fumus boni iuris ou plausibilidade do direito invocado e o periculum in mora ou situação demonstrada de risco iminente ao perecimento ou dano a um direito. Ambos se encontram presentes nos autos.

7. Da analise dos autos, observa-se que o fumus boni iuris restou demonstrado pelo requerente, uma vez que comprovou a verossimilhança de seu pedido com os fatos apurados. Da mesma forma, o MP logrou êxito em comprovar o periculum in mora. que e o perigo na continuidade das veiculações pelos réus da propaganda e os riscos que estes fatos podem causar no julgamento da ação penal pelo E. Tribunal do Júri a ferir-se no mês de outubro próximo nessa mesma comarca ou, no caso do deferimento do pedido
de desaforamento - autos n. 1.0000.14.059297-3/000 - (medida excepcional, tendo em vista a ação ostensiva dos réus, que contaminaram a necessária imparcialidade dos Senhores Jurados), em Belo Horizonte. Tal fato, obriga a extensão da medida alem dos limites territoriais da comarca. Como bem observou o requerente. O uso das técnicas de Goebbels (repetição exaustiva de uma mentira, ate que esta passe a ser tomada com o verdade) não pode ser admitida.

8. No que toca ao pedido de multa inibitória, e sabido que as astreintes são fixadas pelo juiz com o escopo de promover a efetividade de uma decisão judicial, destinando-se a evitar que a parte se furte indeterminadamente ao cumprimento de sua obrigação, em prejuízo da parte contraria ou da coletividade.

9. Diante do exposto, presentes os requisitos legais. Especialmente os previstos no art. 5º da CF, ar t. 3º do CPP c/c art. 799 e ss do CPC DEFIRO o pedido liminar a fim de conceder a tutela antecipada requerida para:

a) PROIBIR a publicação pelos réus e quaisquer entidades medicas a que estejam filiados ou ligados, em especial a ASSOCIAÇAO MEDICA DE POÇOS DE CALDAS e ASSOCIAÇÃO MEDICA DE MINAS GERAIS, seja de Poços de Caldas ou Belo Horizonte, qualquer anuncio publicitário, informe, inserções ou nota de esclarecimento (seja o rotulo que se queira dar) em jornais, rádios e emissoras de televisão ate a realização de sessão do Tribunal do Júri nos autos n. 08.148802-6.

b) FIXAR multa inibitória no valor de R$ 50.000.00 (cinqüenta mil reais) para cada uma nova inserção (radio ou TV) ou nota publicada (jornal impresso), a ser suportada em caráter solidário pelos réus;

c) CITAR os réus para que, querendo, apresentem respostas no prazo de 5 (cinco) dias, contados da juntada aos autos, indicando as provas que pretendem produzir;

d) NOTIFICAR os jornais, rádios e canais de TV com sinal em Poços de Caldas (Jornal de Poços, Jornal da Mantiqueira, Jornal Folha Popular, Jornal da Cidade, EPTV, TV Poços, TV Plan, Radio Cultura e Radio Difusora) para que apresentem, no prazo de até 15 (quinze) dias, notas fiscais e demonstrativo da grade de inserções/publicações veiculadas entre os dias 14 e 30 de julho de 2014 (definição de horários e intervalos de qual programa), pagas potencialmente pelos réus, inclusive Associação Médica de Poços de Caldas, CRM e CFM ou Associação dos Médicos de Minas Gerais;

e) NOTIFICAR todos os jornais, rádios e canais de TV com sinal em Poços de Caldas do teor da presente decisão.
Ahhhh Pavesi, seu blog pode publicar o que quiser, e os medicos nao?

Ora, isto é um pensamento ridiculo e explico o porque:

Quando voce utiliza a imprensa para veicular mentiras, esta impondo a um cidadao que receba estas informaçoes sentado em sua poltrona, enquanto assiste a TV. O meu blog nao impoe nada a ninguem. Quando voce liga o seu computador, meu blog nao aparece na sua tela. Para que tenham acesso ao que escrevo, precisam se conectar a internet e entrar conscientemente no blog para ter acesso, e isto é um ato voluntario. Tanto é que o site dos Conselhos de medicina e das Associaçoes Médicas podem publicar o que quiserem. Os proprios medicos criaram seus blogs e paginas no Facebook. Alem disso, o alcance de tais informes publicitarios pagos atinge milhoes de pessoas de forma involuntaria. O meu Blog alcançou até hoje meio milhao de leitores voluntarios, durante os 7 anos de existencia. 

Importante dizer que os medicos criaram seus canais na internet e perceberam que eram acessados por pessoas que ja os conhecem e ja sao favoraveis a eles por amizade ou qualquer outro vinculo. Sao pessoas que estao ali apenas para demonstrar apoio. Diante disso, perceberam a falencia na tentativa de atrair mais adeptos a defesa, pois quem acessa tal blog se depara apenas com choradeiras e mentiras, sem nenhuma explicaçao para as acusaçoes que pesam contra eles. A alternativa encontrada foi apelar para o poder economico, invadindo as casas de telespectadores com mentiras e distorçoes, sem pedir licença e gastando uma nobre fortuna. Em outras palavras, estao comprando opinoes com base em mentiras.

Ahhhhh mas e as materias, como por exemplo, da CartaCapital? Podem?

Ora, as materias da CartaCapital publicaram fatos narrados em sentença judicial, sem distorce-las em beneficio de quem quer que seja. Alem disso, oferece espaço para que os citados se manifestem e possam mostrar suas versoes sobre as informaçoes publicadas ali, completamente diferente das materias publicadas pelos medicos, que sao fechadas e nao mostram o outro lado. Cabe ainda ressaltar que a CartaCapital nao recebeu sequer um centavo pelas noticias publicadas, ao contrario dos veiculos citados na decisao, que diga-se a bem da verdade, se beneficiaram com alguns milhares de centavos. 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Juri popular. A fraude nos tribunais brasileiros.

Todos ja ouvimos falar sobre o temivel Juri Popular. O Juri Popular nada mais é que um julgamento de um criminoso, cuja decisao ficara sob responsabilidade da sociedade, representada por jurados, sorteados pelo tribunal. Correto? 

Nao!

Voce pode inscrever-se no tribunal da sua cidade para ser um jurado. Ao contrario do que eu imaginava, nao é feito um sorteio, por exemplo, com base nos titulos eleitorais, ou atraves do banco de dados de CPFs da Receita Federal. Voce se inscreve e é "sorteado" (ou nao) a participar. 

E o que isto implica?

Se fosse em um pais serio nada, pois o jurado, se descoberto, correira riscos de sançoes penais. Em um pais como o Brasil, a coisa muda de figura. Nao pega nada! E vou demonstrar mais uma vez, que nao estou falando sob hipotese.

O seu Jose e a dna. Maria, que moram na periferia de Poços de Caldas, lutam diariamente pelo sobrevivencia, trabalhando horas a fio, sem tempo para outras coisas. Eles nunca irao se inscrever no tribunal para ser um mebro do corpo de jurados, nem tao pouco farao parte de alguma possibilidade de sorteio amplo, ja que eles nao existem. Ja os funcionarios publicos que possuem uma vida muita mais tranquila, tem tempo de sobra para isso, e se inscrevem. Em tese, isto é uma pre-seleçao que se faz, excluindo boa parte da sociedade brasileira neste processo. Raramente teremos, por exemplo, um gari como jurado. O povo dificilmente fara parte de um juri. 

Vamos a pratica?

Eu tive acesso atraves de publicaçoes na internet, da lista de jurados que participariam do Juri Popular dos medicos que mataram Paulinho. E para a minha surpresa, nada boa por sinal, descobri algo interessante. 

Vejamos:

- A grande maioria é de funcionarios publicos, recebem salarios da prefeitura de Poços de Caldas, que inevitavelmente estao ligados a politica da cidade, que por sua vez apoia os assassinos abertamente.
- Um jurado é funcionaria de um dos hospitais envolvidos - Pedro Sanches.
- Duas sao enfermeiras.
- Uma tem amizade pessoal com a esposa de um dos medicos pelo Facebook.

Nao é dificil arriscar um resultado nao é mesmo? ABSOLVIDOS!

A situaçao nao muda caso o juri seja realizado em Belo Horizonte. Alias, a situaçao favorece muito mais a mafia por la e é por isso que os advogados ficaram, digamos, felizes com a possivel transferencia do juri. Belo Horizonte é a cidade politica de Carlos Mosconi, que possui amplo dominio politico, com acesso inclusive aos tribunais. Nao sera dificil usar - novamente - funcionarios publicos que devem se inscrever para fazerem parte do juri.

Certa vez, em Poços de Caldas, um advogado me convidou para ajudar a absolver um acusado de homicidio que deveria ir a juri popular. Obviamente recusei a oferta. Nao havia nenhum suborno financeiro. Era apenas um pedido de favor, que por si so ja é um suborno de carater. Como eu nao aceitei, nao soube como deveria proceder e nem como funcionaria. Mas fiquei por algum tempo pensando naquilo. Como um advogado me convida para ser juri em favor de um acusado? Seria possivel isso? Eu nem conhecia o reu e muito menos a historia dele.

Hoje eu entendo que nao so é possivel, como acontece de fato! No Brasil voce manipula tudo o que voce quiser. Tudo é possivelmente corruptivel e nao ha nenhum mecanismo que voce possa acionar para impedir isto. Como se diz no Brasil: Afinal é assim mesmo!

Por que entao o juri foi transferido, se ja estava tudo certo?

Nao é tao simples assim. Em Poços de Caldas, seria facil descobrir o esquema. As pessoas se conhecem. Apos o julgamento, um ou outro seria descoberto. Ja em Belo Horizonte isto se torna mais dificil. 

E como conseguiram a transferencia?

Simples. A associaçao dos medicos de Poços de Caldas, a Associaçao dos medicos de Minas Gerais e os Conselhos de Medicina, foram instruidos a infringir a lei. Para isto, usaram volumosas quantias de dinheiro para fazer veicular em horario nobre da TV e em TODOS os jornais da cidade, comunicado mentiroso sobre a inocencia dos reus. De acordo com as leis brasileiras isto fere o principio de isençao dos jurados e contamina qualquer decisao que possa ser alcançada. Diante disto faz-se necessario a transferencia do juri. E neste caso, a unica possibilidade seria transferi-la para Belo Horizonte, onde desejava Mosconi que o caso fosse julgado!

Sobre esta manobra, escreverei um post mais tarde, com provas e documentos. 

Tudo indica que o julgamento sera uma das maiores farsas ja produzida pelo judiciario brasileiro em todos os tempos. Esta tudo sendo articulado para absolviçao dos medicos, e muito dinheiro esta sendo investido nisso. 

No proximo post, detalhes sobre esta incrivel organizaçao criminosa que vai alem de nossas inferteis imaginaçoes.

E voce, assim como eu, pensando que a coisa é seria nao é?
Nada. Isto é Brasil. Nao vai mudar nunca. Sera assim por toda a eternidade.

terça-feira, 26 de agosto de 2014

MILAGRE!!! MILAGRE!!! MILAGRE!!!

Milagre!

Vejam esta historia. Se voce esta com problemas de saude, nao se desespere. No Brasil esta acontecendo diversos milagres. Pacientes mortos estao ressucitando!! A medicina nao sabe explicar como uma pessoa considerada morta, e ja no necroterio, ressucita. Volta a respirar e volta a vida.


Nao pessoal. Nao é so no Brasil que isto vem acontecendo. No Brasil é o unico lugar em que a ignorancia pode transformar um erro tao ridiculo em milagre. Em diversas partes do mundo, pessoas estao acordando em seus velorios. Mas so no Brasil é atribuido o tal milagre. E o milagre nada mais que um crime grave da qual o medico saira impune.

A verdade precisa ser dita, ainda que a ignorancia bloqueie a mensagem. Mas medicos NAO SAO CAPAZES de diagnosticar a morte de um paciente com segurança. A catalepsia (que nao se aplica ao caso acima) ainda é um grande misterio para a medicina em todo o mundo. 

Muitas pessoas ja foram enterradas vivas. Muitas pessoas morreram de fato, na area do necroterio, quando suas terapias foram suspensas e o paciente abandonado literalmente as moscas. Ha uma industria em torno de um morto que envolve varios fatores. A liberaçao de um leito de UTI, a utilizaçao dos orgaos para transplantes e finalmente o lucro das funerarias. Ha ainda um comercio negro (e que as autoridades tem conhecimento) de corpos para universidades de medicina. Tudo isto funciona 24 horas por dia. Estruturas estao sendo montadas e cada vez mais equipadas para transformar vivos em mortos. 

Por azar, mais uma vez, a familia percebeu o que estava acontecendo. Ignorantes, sao convencidos de que tudo nao passa de um milagre. Nem mesmo na idade media, fatos como estes eram creditos a milagres. So mesmo em uma terra como o Brasil onde ha um contigente incontavel de pessoas sem instruçao para acreditar na ressucitaçao de uma pessoa, nestas condiçoes.

Em breve o Conselho de Medicina fara uma sindicancia que nao dara em nada, pois a propria familia ja aceitou a versao do milagre.

Todos choram mas só há alegria
Me perguntam: o que é que eu faço?
E eu respondo: "Milagres, milagres"

Barao Vermelho



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Advinhem quem esta representando contra o juiz de Poços de Caldas?

Sim caros leitores. No Brasil o bandido representa contra um juiz, por ter seu nome citado em sentença. Portanto o mafioso Carlos Mosconi, sonegador de impostos e criador de uma central clandestina de transplante nao gostou de ver o nominho publicado no texto da sentença. Pela vontade de Mosconi, nenhum juiz poderia citar nomes em sentenças. 

Seria mais ou menos assim: O XXXXXXXX é o chefe desta quadrilha. Durante o processo ficou comprovado que XXXXXXXX alem de ser o chefe da quadrilha ainda utilizada seu poder politico para desviar dinheiro do estado e fazer sua campanha para deputado federal. Em uniao mafiosa com YYYYYYYY, JJJJJJJJJ e KKKKKKKK, XXXXXXXX tinha influencia junto a policia, ministerio publico e desembargadores do estado. 

Carlos Mosconi
Mas Mosconi nunca esta sozinho. Desta vez o Procurador Adailton Ramos do Nascimento, que denunciou os medicos a justiça substituindo o nome e assim protegendo os socios de Mosconi, tambem decidiu acionar a corregedoria da justiça contra o Juiz Narciso de Castro. Na sentença do caso Pavesi, o Juiz explica a participaçao deste procurador:
Conforme denunciou o pai da vítima, no apenso denominado “paulinho por justiça”, inclusive encaminhado à Comisión Interamericana de Derechos Humanos, como informado pelo MP à f. 4366, não no “anexo 29” e sim no apenso 25, o mais espantoso de tudo: o Procurador da República (MPF) ADAILTON NASCIMENTO, ora testemunha de defesa, denunciou médicos do Hospital Pedro Sanches por homicídio (MARCO ALEXANDRE e BONFITTO), mesmo restando claro que a criança não faleceu naquele hospital, pois o exame clínico foi mascarado pela massiva medicação, o protocolo deveria ter sido suspenso, a arteriografia revelou circulação sanguínea no cérebro e sim na SANTA CASA de MOSCONI, onde faleceu após a retirada de seus principais órgãos), deixando de denunciar os amigos de MOSCONI,  os também médicos CELSO SCAFI[26] e CLÁUDIO ROGÉRIO, além de SÉRGIO POLI GASPAR, todos diretamente envolvidos no homicídio de PVP. A Máfia teria engendrado um plano quase perfeito e um tanto maquiavélico[27]: ao denunciar médicos do Pedro Sanches por homicídio, teria a quase certeza da futura absolvição dos mesmos por um Júri, pelo fato da vítima TER SAÍDO VIVA de tal nosocômio.  Assim, os réus CELSO SCAFI, CLÁUDIO ROGÉRIO e POLI GASPAR sairiam ilesos dos processos, pois nem mesmo seriam denunciados e nem responderiam a processo, os demais citados, teriam grande chance de serem absolvidos e os demais réus (JOSÉ LUIZ GOMES e ÁLVARO IANHEZ) poderiam receber penas pequenas ou seriam isentos de pena pela ocorrência da prescrição (IANHEZ) por completar 70 anos de idade, fato já ocorrido com o médico peruano FELIX[28] GAMARRA, “bom para UTI” e GÉRSIO ZINCONE, sócio do Pedro Sanches, (CASO 1, vítima JDC e outros inquéritos).
Adailton Ramos do Nascimento
Mosconi e Adailton representaram contra o Juiz pelo fato de ele ter tido a coragem de revelar o esquema montado pela mafia. Adailton foi informado por mim (e esta documentado pelo proprio Adailton) diversas vezes, sobre os crimes cometidos. O Procurador simplesmente ignorou todas as minhas afirmaçoes e provas que enviava a ele. Era como se eu nao existisse. Na verdade, ele ja tinha uma missao a ser cumprida. Adailton revelou-se por definitivo ao assumir abertamente sua posiçao de testemunha de defesa dos socios de Mosconi, os mesmos que ele nao denunciou e nem explicou os motivos. 

Para que o plano tivesse maior credibilidade, Adailton, em 2002, acionou-me judicialmente alegando injuria, calunia e difamaçao, alem de coaçao do decorrer do processo, e nesta açao, fui absolvido pela justiça federal que na sentença afirmou que eu tinha razao! Se o plano tivesse dado certo, seria cinematografico. Digno de um oscar.

Como sempre digo, e vale a pena sempre repetir, num pais serio Adailton estaria atras das grades, perderia o cargo e quem sabe até o registro da OAB. Mas no Brasil, ahahahahahaahahah, ele virou Procurador Chefe da Republica de Minas Gerais!! 

Esta é a mafia. Eles ocupam cargos importantes. Mosconi é Presidente da Comissao de Saude da Assembleia Legislativa de Minas Gerais e Adailton é Procurador Chefe da Republica de Minas Gerais. Sao mafiosos de pedigree. Nao aceitam que seus planos falhem. Querem sempre se dar bem. Estao acostumados as ovelhinhas que ameaçam com frequencia e usam seus poderes para destrui-las. 

Ambos tem na essencia da alma algo em comum: A covardia e gana pelo poder a qualquer custo.

Na proxima semana, o segundo video da serie em que demonstro como Mosconi e Adailton atuaram para forjar provas no caso do trafico de orgaos em Poços de Caldas. 

domingo, 24 de agosto de 2014

Vagabundos mafiosos e a bondade das autoridades.

Todos sabem que os medicos estao soltos porque o TJMG avaliou que eles nao podem oferecer riscos a sociedade, nao podem interferir no processo e muito menos pertubar a paz publica. 

Soltos, ja conseguiram o adiamento do julgamento do caso Pavesi, e as pressoes contra a familia do juiz continuam, como revelou o proprio Dr. Narciso a Revista CartaCapital. Mas ainda nao é suficiente para que o TJMG ou as autoridades responsaveis acreditem que isto seja motivo para coloca-los de volta a jaula, de onde nunca deveriam ter saido. 

A vitima do Caso No. 5 - Paulo Lourenço Alves (foto ao lado) - teve seu nome ocultado por suas iniciais durante 14 anos. Durante 14 anos, este caso e outros foram protegidos. Por anos tentei encontrar estas familias que nao tinham ideia do que havia ocorrido. Com as iniciais das vitimas nos processos, era impossivel localizar os familiares destas pessoas e explicar que haviam sido mortos por uma quadrilha. Tudo muito bem orquestrado entre mafia e Ministerio Publico. Se eu localizasse a familia, seriamos um grupo maior. Juntos teriamos maior poder de luta. 

Muito bem! Recentemente a filha de Paulo Lourenço Alves entrou em contato comigo atraves de redes sociais e pudemos finalmente nos conhecer. Ela nao fazia ideia, nem sua familia, que seu pai havia sido assassinado, como eu imaginava. Souberam somente 14 anos depois quando foram chamadas a depor. E durante o depoimento, nao faziam ideia do que estava acontecendo. Souberam - acreditem - somente pela imprensa.

O contato feito por esta jovem me deixou bastante feliz e ao mesmo tempo bastante preocupado. Ela relatava que sua mae, Fatima, havia sido procurada em seu local de trabalho por uma mulher que apresentou-se como ex-mulher do anestesista Jose Julio Balducci. Esta ex-mulher, acompanhada de um rapaz, abordou Fatima dizendo que a familia estava sofrendo muito, e que o anestesista era inocente, e bla bla bla. Fatima ficou indignada. 14 anos sem saber de nada, nao fez acusaçao nenhuma, nao denunciou ninguem, nao fez nada, e estava sendo procurada por familiares de medicos em seu local de trabalho?

Fatima respondeu que estava trabalhando e a mulher insistiu que voltaria em outra oportunidade. Antes que novas pressoes sejam feitas a familia, é bom que saibam que eu orientei-as para que fossem ao Ministerio Publico e fizessem uma queixa. E assim fizeram! 

Vagabundos vao pedir explicaçoes a ela?? Em seu local de trabalho para intimida-la? Definitivamente, em Poços de Caldas nao existem mais leis. Vale tudo. Incrivel perceber como as autoridades assistem a tudo de braços cruzados, como um grande espetaculo no Coliseu. 

Impressionante como eles podem tudo! O Ministerio Publico registrou a queixa e disse que vai "analisar" os relatos da familia de Paulo Lourenço Alves. Vai analisar? Analisar o que? Uma mulher vai perturbar a vitima em local de trabalho e é preciso analisar? A vitima sentiu-se incomodada a ponto de levar a situaçao ao Ministerio Publico, e o Ministerio Publico vai "analisar"???????

Vamos inverter o jogo? 

E seu eu procurar um medico em seu local de trabalho para dizer o que penso? O que aconteceria? Eu respondo!

Um verdadeiro esquadrao seria acionado para dar proteçao ao assassino. Eu seria acusado de intimida-los, ameaça-los e seria preso. Vale lembrar que em 2001 o Mafioso Dom Mosconi, determinou que todos fossem a delegacia de policia local e registrassem queixa contra mim, alegando que eu teria os ameaçado de morte. Isto tudo pouco antes do diretor admintrativo da Santa Casa ser exterminado pela mafia. Para isso, utilizaram um e-mail meu em que eu prometia que iria me vingar. Acreditem seus vagabundos. Eu estou me vingando ha 14 anos. Voces ainda nao pastaram metade do que eu pastei. Mas garanto que vao pastar! O episodio esta narrado em detalhes no meu livro, para quem quiser ler. Eu abri mao da minha vida por causa disso. Afastei-me de pessoas que amo por que voces me fizeram deixar o pais. 

Fatima e Flavia. Parabens pela coragem e nao se deixem intimidar. Sao desonestos, sujos, vagabundos e infelizmente controlam todos os poderes da regiao. Mas voces estao seguras. Se alguem tentar intimida-las novamente, basta acionar a justiça. Mas garanto que nao havera proxima vez. Como sempre ninguem vai tomar atitude nenhuma. Todos temem Mosconi. Mas esta registrado e isto é bastante importante. A inercia do poder publico é um elemento fundamental para um futuro pedido de asilo. E em ultimo caso, podemos recorrer a esta via. Faremos o que for preciso para que fiquem bem.

A falta de proteçao e segurança a vitimas e testemunhas é bastante conhecida no Brasil. Basta ver que estas pessoas quando dao entrevistas, precisam ter seus rostos e suas vozes adulteradas. Um indicativo bastante claro de que o estado nao é capaz de protege-las.

Estou encaminhando estas informaçoes para o Ministerio da Justiça e Conselho Nacional de Justiça. Nao vai mudar muita coisa, mas como eu disse, vale documentar a inercia do poder publico brasileiro. Nunca se sabe.