terça-feira, 22 de julho de 2014

Mosconi é a minha Anta

Minardi criou o livro Lula é a minha Anta, e eu roubo o titulo para o Mosconi.

Em recente entrevista a revista CartaCapital, Mosconi diz: "Tem uma denúncia caluniosa feita pelo pai da criança, pelo Pavesi, que sempre teve um grande ódio em relação a minha pessoa". 

Vamos esclarecer Mosconi?

Eu nao fazia ideia de quem era Carlos Mosconi, e muito menos sabia da sua aparencia com aquela barba taliba e cabelos engomados. A unica vez que ouvi falar de seu nome, foi quando estudava com seu filho e uma professora de geografia (se nao me engano de nome Munira), puxava o saco dele porque voce havia sido eleito pela primeira vez como deputado federal. Seu filho deixou de ser o mosconinho e passou a ser o filho do deputado. Desde entao, nunca mais ouvi falar seu nome. 

Em 2000, quando meu filho foi assassinado, seu nome, mais de uma vez, foi citado por varios medicos da cidades, alguns deles inclusive me garantiam que eu estaria num mato sem cachorro por ter afrontado os medicos de Poços de Caldas. Alias "afrontado" os "medicos de Poços de Caldas" é algo bastante diferente da realidade que é: "denunciar superfaturamento em uma conta hospitalar". Mas enfim, ja vimos que o drama é uma das armas que restou aos bandidos. 

Apos esta segunda vez que ouvi o seu nome, enviei um e-mail ao Ministerio da Saude, em apenas uma linha perguntando: "Qual a relaçao do deputado federal Carlos Mosconi com o caso do meu filho?". A frase talvez nao tenha sido com estas palavras, mas era esta a pergunta, que alias nunca foi respondida. Mas o e-mail faz parte do inquerito que apurou as minhas denuncias. 

Em seguida, para a minha surpresa, pude assistir atonito, um video na qual Mosconi vai a tribuna da camara federal em Brasilia e faz chantagens a Jose Serra. A partir deste momento, nao tive mais duvida de seu envolvimento e passei a investigar. A forma agressiva e criminosa (chantagem até onde sei é crime) contra Jose Serra (seu amigo pessoal), foi a gota d'agua. E nao demorou muito para descobrir que voce era um dos fundadores da ONG clandestina que fazia captaçao e distribuiçao de orgaos na regiao, sem autorizaçao do Ministerio da Saude.

Repare caro Mosconi. Nunca fui a sua casa, nunca fiz a voce qualquer reclamaçao, nunca tive qualquer problema com a sua pessoa (ainda que me pareça repugnante). Quem entrou na minha historia foi VOCE! Eu nao tenho odio gratuito como voce sugere. Mas tenho odio sim de pessoas como voce que utilizam o poder politico, o dinheiro publico, para fazer o que faz, e sempre se dar bem. Em todos os momentos em que a historia foi abafada, voce estava la. Quando o prontuario do meu filho foi totalmente modificado, voce estava com este prontuario no gabinete do Ministro com "Serjao" para entrega-lo. O Ministerio da Saude informava voce de todos os passos da investigaçao enquanto nos da familia nao eramos informados de nada. Voce é o grande chefe desta quadrilha e fez algo por ela que nunca fez em nenhum outro momento da sua vida: deixou seu nome aparecer. O ilariante desta historia é que voce deixou chegar a este ponto por causa de R$ 11.000,00 reais, quando tem milhoes e milhoes escondido em algum lugar, onde o MPE nao pode investigar. 

Tenho odio de ver um pais afundando porque pessoas como voce pagam dividas de 15 milhoes e ninguem pode investigar a origem deste dinheiro. Afinal Mosconi, de onde vieram estes 15 milhoes que voce pagou a sonegaçao fiscal do seu filho? Responda!!! A sociedade quer saber. Espero que voce me processe agora pois estou acusando voce de ser LADRAO DE DINHEIRO PUBLICO, LADRAO DE VIDAS HUMANAS, pois quem frauda a saude, leva a morte centenas de pessoas. 

Tenho odio Mosconi de pessoas como voce que estao fraudando a saude publica a tantos anos, e ainda sao respeitados como se fossem herois da saude. Desde que comecei a investiga-lo para saber com quem estava lidando, recebi tantas informaçoes sujas que daria para escrever um livro. 

Quem nao se lembra do escandalo do café em Poços de Caldas? Como sempre, tudo foi arquivado. Nunca, nehuma investigaçao consegue evoluir quando voce esta envolvido. Tudo afunda misteriosamente. Tudo é arquivado sem qualquer explicaçao a sociedade. O Ministerio Publico - aquele que disse que se a PEC 37 fosse rejeitada acabaria a corrupçao no pais (uhauhauhauha) - esta no seu bolso. Voce so nao conseguiu arquivar o caso Pavesi porque nao dei espaço. Normalmente as pessoas desistem ou se afastam pois voce manda ameaçar. Eu sou uma exceçao. Recebi varios e-mails de pessoas que se manifestaram no Facebook a meu favor e foram ameaçadas pelo seu filho. Alguns destes e-mails ja enviei ao Ministerio Publico e advinha??? Eles nao estao interessados em fazer nada. E todos morrem de medo de voce. Todos sabem do que voce é capaz de fazer. E sabem que voce tem o poder de manipular autoridades. 

A situaçao é tao lamentavel que o desembargador Olindo Herculano de Menezes, ao dizer que em Poços nao houve trafico de orgaos, irregularidades, ou qualquer coisa fora do normal, ele admite que a central nao tinha qualquer autorizaçao conforme determina a lei. Diz o desembargador que tudo foi apenas um mero erro administrativo burocratico. Claro! Tudo foi um grande erro! Alvaro faz diagnostico, documenta e diz que foi um erro de quem documentou. Scafi documentou que Paulinho estava sem morte encefalica minutos antes de tirar-lhe os orgaos e disse que a escrita "SEM M.E." foi um erro. Entao vem o anestesista e documenta que Paulinho estava vivo, e utiliza anestesia geral. Mas tambem diz que foi um erro. Força do habito! O exame de tomografia desaparece, mas foi um erro! As angiografias desaparecem e nao ha comprovaçao nenhuma da morte encefalica - mas tudo foi um pequeno erro. Erro burocratico. Carlos Henrique Marcondes grampeou o centro cirurgico e varios medicos e amanheceu com um tiro na boca - mas foi um erro! Suas maos foram raspadas com acido e as provas do crime desapareceram - e tudo nao passa de um erro. O proprio advogado da Associaçao Medica de Poços de Caldas revelou em entrevista que as irregularidades existiram sim! Mas tudo foi apenas um erro.

Por tudo isto, roubei o titulo de Minardi. Mosconi voce é a minha Anta. 

segunda-feira, 21 de julho de 2014

O novo Lalau brasileiro. Advinhem quem é???

Voces devem estar lembrados (para quem acompanha o blog) do texto "A prostituiçao da Justiça Federal". Muito bem! Eu escrevi o texto apos saber que o TRF1 arquivou processo de Improbidade Administrativa, de varias pessoas ligadas a Saude Publica em Poços de Caldas e tambem em Minas Gerais. Todos enrolados no caso Pavesi, no que diz respeito a desvio de dinheiro publico, autorizaçoes fraudadas e coisas do genero. 

Olindo Herculano de Menezes
O TRF1 nao so absolveu todo mundo, como tambem fez questao de dizer que em Poços de Caldas nao houve nenhum problema na area de transplante - ainda que a central de transplante nao tenha apresentado qualquer documento legal como prova de funcionar em legalidade. Sem ter conhecimento dos detalhes de cada caso, o desembargador Olindo Herculano de Menezes mandou arquivar tudo e inocentar todo mundo.





Segundo a Revista Veja, Olindo é uma especie de Lalau. Em 2011, Olindo Menezes, presidente do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, visitou conselheiros do CNJ , um dia antes da sessão do colegiado. Foi pedir que não aprovassem a recomendação para que o Congresso vetasse os recursos para a construção da nova sede do tribunal, obra com indícios graves de irregularidades. Não teve sorte: o tribunal aprovou a medida por unanimidade, inclusive com o voto de Tourinho Neto, conselheiro do CNJ que é desembargador do TRF-1.

Se aprovado fosse, mais um saco de dinheiro seria desovado naquele obra. O sujeito Olindao tem um certo amor a impunidade. 

A açao penal contra os advogados de Roberto Arruda (aquele pego em flagrante recebendo propina), foi trancada - advinhem por quem???? Sim, Olindao! 

Olindao da uma força para quem rouba a saude publica. Ele tem plano de saude. Vejam so este caso:

Trata-se da operaçao FIDARE, realizada pela policia federal. A operaçao tinha como objetivo cumprir um total de 113 mandados, sendo 30 de prisão preventiva, 17 de prisão temporária, 13 de condução coercitiva e 53 de busca e apreensão, em Cuiabá, Cáceres e Sinop, a 503 km de Cuiabá, e em Goiás. Na gestão dos recursos de programas do Ministério da Saúde, em Cáceres, a suspeita é de que tenham sido desviados cerca de R$ 2,5 milhões nos últimos dois anos. Recursos de três programas federais estariam na fraude: Programa de Assistência Farmacêutica, Programa de Saúde da Família e Piso de Atenção Básica à Saúde, destinados à aquisição de medicamentos, eram desviados de diversas formas. A Polícia Federal exemplificou como os integrantes da quadrilha atuavam para conseguir a vantagem financeira por meio da Prefeitura de Cáceres. Uma das formas era o retardamento das licitações por parte da Secretaria Municipal de Saúde até zerar o estoque. Com isso, para justificar a compra atrasada de medicamentos, os procuradores faziam pareceres e as licitações eram direcionadas para os fornecedores envolvidos no esquema.

Ja imaginaram quantos profissionais envolvidos na investigaçao deste caso? Quanto nao foi gasto para chegar até este grupo? Pois é. Ai entra Olindao. Sabe o que ele fez? Cassou a decisão proferida pelo juízo federal de Cáceres – oeste de Mato Grosso – que desencadeou a Operação Fidare, determinando a imediata soltura do empresário Marcelo Soares Fedrizzi e a expedição do contra-mandado de prisão preventiva em relação à estudante Lo Ruama Soares Fedrizzi - todos responsaveis pelo desvio. 

Todo mundo inocente! Bradou Olindao! Acho que ele deve ter considerado que este pessoal nao cometeu nenhum ato ilicito. Provavelmente tratava-se de profissionais pioneiros que ainda nao haviam se adequado as leis! Isto acontece nao é mesmo??? Os mandatos, as prisoes, e tudo o que aconteceu, era fruto de imaginaçao de gente que nao tem o que fazer. Olindao canetou e soltou todo mundo! O SUS precisa continuar sendo roubado.

Nao acabou nao! Olindao é forte!

Em Brasilia um grupo que vendia produtos importados clandestinamente, acusado de "descaminho", tambem foi beneficiado pelo desembargador - ou seria desavergonhador? - que mandou arquivar tudo. O desembargador perguntou: Tem exame de corpo de delito? Nao? Entao arquiva! E se voce precisar de um importado clandestino, basta dar um pulo em Brasilia na feira dos importados e a turma estara la vendendo a muamba, com o selo oLindo de impunidade!

Perai... tem mais - As obras de Belo Monte

O Ministerio Publico Federal recebeu uma liminar favorável em primeira instância da Justiça Federal, obrigando o cumprimento efetivo de condicionantes da Licença Prévia, antes da emissão de nova licença, enquanto denunciou a inexistência legal da figura de uma “Licença de Instalação Parcial”. Ou seja, as obrigaçoes para obtençao da licença, deveriam ser cumpridas como determina a lei. Mas poucos dias depois, esta decisão liminar foi suspensa unilateralmente pelo então Presidente do TRF-1, Olindo Menezes, a pedido da AGU, utilizando o artificio autoritário da “Suspensão de Segurança”, com argumentos equivocados sobre a iminência de um caos social e econômico no país, se atrasasse o cronograma de obras de Belo Monte. E assim, o elefante branco de Belo Monte, pode prosseguir naturalmente.

Toda vez que a uma decisao favoravel aos medicos traficantes de orgaos de Poços de Caldas, ou qualquer integrante direto ou indireto desta mafia, pode procurar que voce encontrara o musgo, a sujeira, a impureza. 

O maior obstaculo em se atingir a justiça no Brasil, é a propria justiça. Os esforços para colocar um bandido atras das grades, nao deve ser direcionado aos bandidos e sim aos tribunais.

Atençao Poços de Caldas

Nao sei se esta reportagem saira na revista impressa. Se sair, Poços de Caldas nao vai ler. Mosconi manda recolher todas as revistas sobre o assunto, em especial a CartaCapital. Sendo assim, leia aqui no blog ou acesse o link direto da revista clicando aqui. Amanha vou postar um video sobre as respostas de Mosconi e mais uma vez esclarecer em definitivo as acusaçoes deste mafioso.

CartaCapital - Sociedade

A Irmandade

Cerco à 'Máfia dos Transplantes' atinge deputado do PSDB

Justiça de Minas Gerais pede investigação de deputado Carlos Mosconi por suposta participação na quadrilha acusada de operar uma central clandestina de órgãos , citado na "Máfia dos Transplantes"
por Renan Truffi, foto Pedro Presotto — publicado 21/07/2014 04:25

Médicos acusados de envolvimento no tráfico de órgãos trabalhavam
na Santa Casa de Poços de Caldas (MG)

“São pessoas de bem e bons profissionais”, escreveu o médico e deputado estadual Carlos Mosconi (PSDB-MG) no Facebook, no último dia 7 de fevereiro, sobre seus colegas de profissão: Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Sérgio Gaspar. Na mesma data em que ele postou a mensagem os três foram condenados à prisão pela Justiça de Minas Gerais. Os médicos retiraram os órgãos de um menino de 10 anos quando ele ainda estava vivo, em Poços de Caldas (MG), em abril de 2000. Segundo a Justiça mineira, a intenção dos réus era vender rins e córneas do garoto, em mais uma ação da ‘Máfia dos Transplantes’.

A solidariedade do deputado em seu perfil na rede social é só mais um indício da estreita ligação entre ele e os condenados. Mas somente agora, após 14 anos da divulgação do caso, a relação poderá ser esclarecida. Além de determinar a pena dos colegas de Mosconi, a sentença do juiz da 1ª Vara Criminal de Poços de Caldas, Narciso Alvarenga Monteiro de Castro, determina que o deputado seja investigado o mais rápido possível por suas “supostas atividades ilícitas” ao lado dos réus. O escândalo foi divulgado por CartaCapital em três reportagens. Outro médico também citado nos processos, o nefrologista, Álvaro Ianhez, será levado a júri no próximo dia 31 de julho.

Há 14 anos, o menino Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos, deu entrada no Hospital Pedro Sanches, em Poços de Caldas, depois de cair de uma altura de 10 metros no playground de seu prédio. O garoto estava consciente e conversava, mas apresentava traumatismo craniano e teve que passar por uma cirurgia. No dia seguinte, o pai da criança, Paulo Pavesi, foi informado da morte do filho e da possibilidade de doar os órgãos. Ele autorizou a retirada.

Algum tempo depois, Pavesi recebeu uma conta de R$ 11 mil do hospital. A cobrança incluía, entre outras coisas, os gastos com o transplante feito no garoto. Intrigado, ele resolveu pesquisar e descobriu que a operação para retirada de órgãos é feita com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) e, portanto, não pode ser cobrada. O pai denunciou o hospital, então, ao programa Fantástico, da TV Globo. A reportagem levou o então ministro da Saúde José Serra (PSDB-SP) a pedir uma auditoria na unidade. O que se descobriu foi que a irregularidade era apenas parte de um esquema de venda de órgãos gerenciada por uma central clandestina, a MG Sul Transplantes. A central estava registrada como uma ONG e usava um nome similar ao do órgão estadual responsável por este tipo de procedimento, a MG Transplante.

O menino Paulinho foi atendido pelo médico nefrologista Álvaro Ianhez, coordenador do setor de transplantes do hospital e, ao mesmo tempo, um dos fundadores da ONG MG Sul Transplantes. Com a ajuda de Celso Scafi, Cláudio Fernandes e Sérgio Gaspar, Ianhez decretou a morte encefálica do garoto quando ele ainda estava sedado. O único exame feito pela equipe, contudo, atestou que não havia morte cerebral. Nada disso impediu que os médicos prosseguissem com a retirada dos órgãos.

A reportagem de CartaCapital teve acesso à integra da sentença do juiz Narciso Alvarenga. De acordo com o magistrado, as investigações revelaram outros oito casos semelhantes. “Tudo corria bem, achavam que era mais um paciente pobre, de família com baixa instrução, e ainda era feriado. Até que tentaram cobrar também pelo transplante, a ganância foi muita. A partir daí se descobriu um verdadeiro filme de horror”, resumiu Alvarenga.

E foi a apuração dessas denúncias que colocou em evidência o nome do deputado Mosconi. Na última sentença, ele é citado 70 vezes. Entre os indícios apontados pelo juiz do que seria sua participação no esquema estão provas que mostram que o tucano é um dos fundadores da MG Sul Transplantes, a ONG clandestina apontada como a agenciadora dos órgãos.

“Os órgãos não foram distribuídos pela CNCDO (Central de Notificação e Captação de Órgãos), a MG Transplantes, e sim pela central clandestina MG Sul Transplantes, coordenada por Álvaro Ianhez e idealizada por Carlos Mosconi”, conclui o juiz na sentença.

A prova de que ambos foram os criadores da instituição é um texto no Jornal Brasileiro dos Transplantes, que noticia a fundação da ONG. O documento que formaliza a criação e foi publicado pelo jornal é assinado por Mosconi e alguns dos médicos condenados, como Celso Scafi e Cláudio Rogério. “Tal entidade manipulava uma lista própria de receptores, interestadual, juntamente com outra entidade, a Pro Rim”. Ainda segundo o texto judicial a Pro Rim era dirigida por Lourival Batista, conhecido por ser o primeiro transplantado de Poços de Caldas. E quem fez a cirurgia em Batista? Justamente Carlos Mosconi.

“A Pro Rim gerenciava uma lista própria de receptores de órgãos. Sendo que a lei fala que tem que ser uma lista única, municipal, estadual ou nacional. Essa lista era interestadual, e tinha pacientes de cidades vizinhas, no estado de são Paulo. São irregularidades e ilegalidades sérias”, explica o juiz.

O pedido de investigação do tucano também se baseia em um depoimento do pai do menino Paulinho. No último mês de junho, a Justiça brasileira solicitou que Paulo Pavesi fosse ouvido por autoridades inglesas, pois o gerente de sistemas vive hoje em Londres sob proteção policial, após receber ameaças.

“As investigações feitas por autoridades brasileiras descobriram dezenas de crimes, em diversos casos semelhantes ao do meu filho. Em geral, os pacientes tiveram seus tratamentos terapêuticos suspensos ou negligenciados propositalmente e foram empurrados para a morte a fim de fornecer órgãos para transplantes. Álvaro Ianhez criou uma rede de captação e distribuição de órgãos completamente clandestina, com o auxílio e proteção política de Carlos Mosconi. [...]. Carlos Mosconi possui o controle política da cidade. Ele comanda a polícia, o Ministério Público, os órgãos de fiscalização municipal e até estadual”, afirmou Pavesi, em depoimento às autoridades inglesas.

O deputado tucano teria usado, por exemplo, sua influência para desaparecer com provas. O delegado Célio Jacinto, responsável pelas investigações da PF, revelou na época a existência de uma carta do parlamentar na qual ele solicita ao amigo Ianhez o fornecimento de um rim para atender ao pedido do prefeito de Campanha (MG). A carta, segundo o delegado, foi apreendida entre os documentos de Ianhez, mas desapareceu misteriosamente do inquérito sob custódia do Ministério Público Estadual de Minas Gerais.

Episódios como este levaram a Justiça e o Ministério Público a classificarem o esquema como uma “máfia”. Cerca de dois anos depois da morte do menino Paulinho, o diretor da Santa Casa de Misericórdia de Poços de Caldas, Claudio Marcondes, foi encontrado morto dentro do próprio carro com um tiro na boca. Com base em depoimentos que constam nos autos, o juiz afirma que Marcondes teria gravações de conversas comprometedoras dos médicos envolvidos no tráfico de órgãos.

A arma encontrada no local nunca foi periciada e sumiu. Além disso, as mãos de Marcondes foram lavadas, raspadas e enfaixadas, o que impossibilitou qualquer exame para saber se foi ele mesmo quem atirou contra si próprio. Segundo a Justiça, o carro da vítima ainda foi lavado duas vezes por Sérgio Roberto Lopes. Ex-PM, “Serjão” fecha o círculo em torno de Mosconi. Segundo o juiz Narciso Alvarenga, Sérgio era advogado da Santa Casa e foi levado para a política pelo deputado tucano. Ele seria ainda o responsável pelo estatuto da Pro Rim, a entidade parceira da MG Sul Transplantes.

A sentença ainda alerta para a possibilidade de que o deputado esteja por trás de outros negócios escusos. Uma das maiores fornecedoras de equipamentos hospitalares da Santa Casa de Poços é a empresa Mantiqueira Distribuidora de Produtos Hospitalares. A companhia está registrada nos nomes dos filhos de Mosconi, mas ele seria o dono. O deputado destinaria emendas ou recursos para o hospital que, por sua vez, usaria a verba para comprar equipamentos da Mantiqueira.

Se for mesmo investigado, Mosconi terá de conciliar sua defesa com mais uma campanha eleitoral. Ele é candidato a deputado federal pelo PSDB.

Outro lado

Os advogados de todos os acusados citados na reportagem negam que a MG Sul Transplantes tenha sido uma central clandestina. Eles se baseiam em uma decisão da Justiça Federal que desmente a existência tanto da “máfia” como afirma ainda que a ONG estava regularizada nos devidos órgãos.

Em entrevista à reportagem, o deputado estadual Carlos Mosconi também afirmou que nunca participou de nenhum esquema de tráfico de órgãos. Na opinião dele, os médicos estão sendo injustiçados. “Eu não tenho nenhum envolvimento nessa história. Tem uma denúncia caluniosa feita pelo pai da criança, pelo Pavesi, que sempre teve um grande ódio em relação a minha pessoa”, afirma. Ele explica que entrou com várias representações na Justiça contra o juiz Narciso Alvarenga Monteiro de Castro por conta de sua atuação e classifica as denúncias como “políticas”, ao citar que o caso também foi divulgado em blog do PT.

Sobre as denúncias relacionadas à empresa Mantiqueira, o tucano confirma que a companhia é de um de seus filhos, mas diz que não sabe com quais hospitais ele tem negócios. “Vendem para o Brasil inteiro. Meu filho é empresário”, se defende. Ele garante, no entanto, que na época em que a Santa Casa recebeu um empréstimo para quitar dívidas, a empresa Mantiqueira não tinha negócios com a unidade de saúde.

O defensor de Álvaro Ianhez, Leonardo Bandeira, nega que ele tenha participado, tanto do diagnóstico como do transplante do menino Paulinho. Bandeira também defende o médico João Alberto Góes, que é réu em outros casos relacionados à suposta máfia, mas critica a sentença do juiz por afirmar a existência do esquema de tráfico de órgãos. O advogado dos médicos Celso Scafi e Cláudio Fernandes, José Arthur Kalil, desmente a informação de que a criança não teria tido morte cerebral. Segundo ele, o exame confirmou que a criança teve morte encefálica. Ele ainda explica que seus clientes fizeram todos os exames.

domingo, 20 de julho de 2014

Quem merece ser preso??

Pois é. Parece mesmo que vamos ter um show no dia 31 de julho, no julgamento do caso Pavesi. A mafia ja esta se articulando e organizando um movimento para pressionar os jurados. Na porta do forum farao plantao para que o juri saiba o que fazer: Absolver os medicos. 

Uma senhora daquela cidade, apoiadora do movimento, demonstra o objetivo do grupo. Trata-se de Sonia Maria Pellachin. Como ela citou o meu caso, acho que nao ha problema legal nenhum em mostrar o seu depoimento. Se houver tambem, estou C&A.

Sonia aparece com uma criança no colo, em uma de suas fotos no Facebook. No movimento em defesa do medico, Sonia foi categorica:
Nunca tive dúvida sobre a inocência do Dr. Álvaro…Pessoa idônea e amiga de todos. Como pensar que um pai, possa tirar um órgão de uma criança, sem que essa esteja com morte cerebral diagnosticada??? O que pensaria ao deitar sua cabeça no travesseiro??? Não o Dr. Álvaro!!! Pessoas que levantam suspeitas e apontam o dedo sem saber, merecem pagar na justiça da terra, porque na de Deus com certeza já pagarão!!!!!

Enquanto é com o filho dos outros, qual o problema? 



Comentario publicado no Facebook, registrado!

A dna. Sonia é clara:  Eu deveria estar na cadeia! "Pessoas que levantam suspeitas e apontam o dedo sem saber, merecem pagar na justiça da terra".  Quem sao estas pessoas Dna. Sonia? Eu mereço ser preso por ter denunciado um superfaturamento do hospital? O seu conceito de justiça é este Dna. Sonia?

Muito bem! Entao vamos la!

Com base no que esta senhora disse, so me resta lhe propor um desafio.
"Como pensar que um pai, possa tirar um órgão de uma criança, sem que essa esteja com morte cerebral diagnosticada???"
Dna Sonia. Va até o forum de Poços de Caldas, e entregue ao juiz criminal as provas de que o diagnostico foi realizado. Em especial as chapas com a comprovaçao de que Paulinho estava morto. Faça isto o mais rapido possivel, pois se nao fizer, serei obrigado a solicitar judicialmente que o faça. 

A sra. tem o prazo de 30 dias, a contar a partir de hoje (20 de julho de 2014). Faça o mais rapido possivel, pois como estou prometendo, vou aciona-la judicialmente para que faça. 

Espero que a justiça de Deus, que voce tanto acredita, nao venha lhe cobrar o que esta fazendo. Assim como o meu filho precisou da Santa Casa, muitas crianças que ainda estao vivas podem precisar um dia. E nunca se sabe o futuro nao é mesmo? Alias, pelo meu filho eu nao posso fazer muito, ja que ele foi assassinado. Mas faço pelos filhos dos outros, ainda que os pais sejam estupidos e mal intencionados. 

Ainda que esta quadrilha seja absolvida por um tribunal de juri, nao tenho duvidas de que a justiça vira a tona. Nestes ultimos 14 anos tenho acreditado na verdade, e nunca me decepcionei. Nao sera agora.

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Em busca da Arca Perdida.

A copa do mundo acabou e agora nossas atençoes precisam estar voltadas para o que realmente interessa. Ouvimos falar tanto em corrupçao, desvio de dinheiro, lavagem de dinheiro e tantas outras expressoes que até perdemos a noçao da dimensao que tudo isso representa. Se existe mesmo tanta roubalheira, para onde vai este dinheiro que nunca é encontrado? Onde escondem o dinheiro da malandragem? Onde esta o dinheiro que nao encontramos quando vamos a um hospital, a uma escola publica ou a uma delegacia? 

Meus amigos, se voce quer achar este dinheiro, basta procurar no lugar certo. Ele nao fica em conta corrente obviamente. Ele se transforma em tijolinhos, carrinhos importados, empresas que nao dao lucro, e em outras coisinhas mais. Tem politico que gasta grande parte em Pepsi ou Coca. Alguns sao viciados nestes refrigerantes. Outros investem boa parte para obter novos cargos politicos. Ha quem faça investimentos na area da saude, comprando remedios para pacientes e dando caronas para que eles possam fazer exames em locais distantes, muito distantes. Voce pode nao acreditar, mas eles fazem isso. 

O lugar certo para procurar é o site do Tribunal Superior Eleitoral, que da uma bela ajuda para que este dinheiro desapareça devidamente. Obviamente, muitas propriedades estao em nome de outras pessoas, como filhos, genros e noras, primos, tios e até mesmo laranjas (pessoas que nem fazem ideia - ou fazem - de que o nome esta sendo usado para isso). 

Mas nem todos se dao bem. Alguns politicos sofrem muito, trabalham 24 horas pelo povo e nao conseguem acumular riquezas. Vamos a um exemplo de um politico dedicado, serio e que tem um patrimonio digno de pena. Seria esta a nova classe media brasileira?

O Candidato em questao concorre este ano a uma vaga de Deputado Federal. Carlos Eduardo Venturelli Mosconi, filiado ao PSDB de Minas Gerais, registrou a sua lista de bens junto ao Superior Tribunal Eleitoral que nao fez nenhuma ressalva, e portanto, é oficial.

Apartamento 34, Rua Sabara, 318 - Sao Paulo - Valor declarado: R$ 47.212,00
Apartamento 44, Rua Sabara, 318 - Sao Paulo - Valor declarado: R$ 47.212,00

A Rua Sabara, para quem nao conhece, esta no bairro Higienopolis em Sao Paulo. Eu fiz uma pesquisa de preços e o mais barato que encontrei tinha o valor de R$ 508.000,00. O mais caro chega a R$ 2.000.000,00. Mosconi, se nao tivesse sorte, nao conseguiria ter comprado dois apartamentos la, por um preço tao baixo. Trata-se de um politico que tem um poder de negociaçao que nao pode ser subestimado. 

Apto 1204, Rua Sta Rita Durao, 1000, Bairro Funcionarios. BH -  Valor declarado: R$ 84.000,00.

Se voce quer saber como é este predio, faça uma pesquisa pelo GoogleMaps. Um aluguel neste mesmo predio, de um apartamento com area de 48m2, custa R$ 2.500,00. Ma che fortunato é questo Mosconi!! Conseguiu comprar um apartamento por uma merreca naquele predio!! Este sim é "o cara". Yes!! We can!

Casa Residencial, Praça Alcides Mosconi, N.66, Centro de Andradas MG - R$ 13.885,00
Casa Residencial. Av. Dr. David Benedito Ottoni, 780.  Poços de Caldas MG - R$ 83.276,002

O candidato em questao é um homem de muito bom coraçao. Ele compra estes casebres (sao casinhas insignificantes, muitas feitas somente de tijolos e sem acabamento, para ajudar aos outros. Alem disso, ele nao gosta de ostenteçao. 

Lotes de Terreno, Av Lucca, Jardim Italia, Andradas MG - R$ 9.000,00
Lote de Terreno N5 Quadra I, Rua George PHRYL. Itubera BA - R$ 8.745,75

Agora, esta proxima propriedade me deixou confuso.

Areas de Terras de 75.000 m2 - Poços de Caldas MG - R$ 22.777,74

Esta "area de terras" corresponde a 10 campos de futebol. Para o Brasil construir 12 Estadios gastou bilhoes de reais!! Poderiam ter comprado as terras de Mosconi, e a copa sairia bem mais em conta! 

Com o salario de Deputado Estadual, Mosconi poderia comprar duas "areas de terras" em Poços de Caldas por mes. Em 4 anos de mandato, ele seria dono da cidade!

Conjunto de Sala Comerciais, Rua Paraiba, 153 - Sala 35, Centro Poços de Caldas - R$ 69.397,00

Fazenda Samabaia - 72,49 Hectares (72.490 m2 ou mais 9 campos de futebol) -Andradas MG - R$ 138.795,00

25% CHÁCARA SANTA CECÍLIA  ÁREA 3,25 Hectares. Andradas MG - R$ 52.048,00

Alem de ser um bom negociador para pagar tao barato nestas propriedades, Mosconi tem uma virtude. Ele economiza muito dinheiro com os carros. Vejamos os veiculos declarados.

Toyota Bandeirantes Ano: 1978 - R$ 13.000,00
Ford Galaxie Ano: 1993 - R$ 5.551,78

Se voce for a Assembleia de Minas e ver um Toyota Bandeirantes ou um Ford Galaxie estacionado na porta, pode saber que Mosconi esta trabalhando. Eu nao duvido que ele faça expediente de chinelos havianas, pois com estes carros, ele é o nosso Mujica brasileiro nao é mesmo?

Quotas no Capital Social da Coop.de Credito dos Medicos de P.Caldas UNICRED - R$ 3.400,00

UNICRED? Parece que eu ja ouvi este nome antes. Acho que era a cooperativa onde Carlos Henrique Marcondes e o provedor da Santa Casa faziam emprestimos em nome de funcionarios cujas parcelas eram debitadas diretamente na conta corrente da Santa Casa. Eu me lembrei deste nome, porque quando Carlos Henrique foi assassinado, o provedor quitou os debitos que estavam no nome de Carlos imediatamente. Que coincidencia heim??

Quotas no Capital Social A. M. Prestadora de Serviços e Consultoria S/S Ltda. - R$ 2.500,00
Quotas no Capital Social da Empresa Aguas Minerais Fonte Santa Cecilia Ltda - R$ 54.000,00

Muito bem, caros amigos. O total dos bens declarados deste deputado é de R$ 654.778,27

Como podemos ver, nao vale a pena ser politico honesto no Brasil. Mosconi foi Deputado Federal por 4 mandatos e seu patrimonio é de apenas R$ 654 mil. Uma injustiça!!!

Ele foi presidente do INAMPS, foi secretario de saude do Distrito Federal, Vice-Presidente da Comissao de Saude do Parlamento Latino Americano, Fundador da Central de transplantes - MG Sul Transplante, assessor especial de Aecio Neves, Presidente da Federaçao Hospitalar de Minas Gerais (FHEMIG), Secretario de assuntos municipais de Eduardo Azeredo e tantas coisas mais que nem fazemos ideia, e nao conseguiu chegar sequer a 1 milhao de reais em seu patrimonio! 

Veja como este pais é injusto! No ano passado, Mosconi foi obrigado a desembolsar 15 milhoes de reais para pagar uma divida de sonegaçao fiscal da empresa do seu filho, condenado por esta razao (culpa dele?). Deve ter pedido o dinheiro emprestado. Coitado!! Vai levar a vida interia para pagar e quem sabe até as proximas geraçoes.

E como se nao bastasse toda esta desgraça deste candidato, estes 15 milhoes acabou gerando um Inquerito Policial, que pretendia apurar a origem deste dinheiro. Por sorte, o Ministerio Publico Estadual mandou arquivar tudo e sequer pediu desculpas! Que abuso de poder. Quem pensa que é o Ministerio Publico Estadual?

E pensar que alguem, um dia, acusou este senhor idoneo de ser o mentor de uma quadrilha de trafico de orgaos. Se fosse mesmo, estaria milionario, mas nunca encontraram 1 centavo sequer deste dinheiro sujo. Por sorte, mais uma vez, o Ministerio Publico Estadual e tambem o Federal se negaram a investigar. Ja pensou?? Outro problema nas costas de alguem que trabalha tanto! Quanta injustiça meu deus!

Um homem de amigos verdadeiros. Soube que fizeram uma campanha pedindo para o denunciante mostrar onde esta este dinheiro do trafico de orgaos que ninguem nunca viu! Obviamente, o denunciante nao conseguiu mostrar. Disse a policia que o dinheiro acaba em uma conta da UNICRED, mas nunca viram este dinheiro e nem esta conta. 

Eu me junto a este grupo: 
Onde esta o dinheiro denunciante??? Mostra!!!
Cade os recibos de venda de orgaos???? Cade??? Mostra!!!
Até os Conselhos de Medicina ja absolveram Mosconi!!! Mostre as provas agora!!! Mostre...

Bom, a bem da verdade, nao sei se Mosconi foi absolvido pelo Conselho, porque eles estao absolvendo todo mundo e ficou meio confuso para mim. Mas acho mesmo que Mosconi tambem foi absolvido. Pelo que soube, até o Luis Suárez, jogador do Uruguai que mordeu a orelha do italiano foi absolvido pelo CFM.

Enfim...

Este sim é um homem que trabalha pelo povo! Pela saude!
Eu so lamento estar asilado na Europa devido a uns probleminhas que tive ao enfrentar um politico mineiro, pois se estivesse no Brasil, votaria nele.

Nao esqueça este nome MOSCONI - 4513 - para Deputado Federal em 2014!
Mais saude, educaçao, segurança publica e principalmente justiça!!