sábado, 22 de novembro de 2014

Asilo ou Exílio. O nome não importa para a única saída que nos resta.

Caros leitores deste blog. Estamos diante de um país sem leis, onde a propina substitui qualquer artigo constitucional. Estamos ao bel prazer de desembargadores vigaristas, tribunais manipulados e um Ministério Público que não vale nada. Estamos diante de uma gestapo um pouco mais cruel do que aquela que oficialmente conhecemos. Pior que matar é esfolar vivo e retirar os direitos civis de um cidadão como fizeram comigo e estão fazendo com outras pessoas. 

Há alguns anos atras conheci pela internet uma pessoa que hoje considerado um irmão. Uma pena que embora estejamos vivendo tão próximos um do outro, nos desencontramos com frequência devido a nossas tarefas diárias, mas em breve vocês conhecerão esta amizade através de um hangout que estamos planejando. 

Para um breve resumo da ópera, Augusto está vivendo na Alemanha após denunciar um esquema fraudulento na UNESP Araraquara. As fraudes se referem a desvio de dinheiro público (por um meio específico) chegando até mesmo a denúncias de plágio. Augusto é mais um jovem brasileiro que se aventurou a questionar a falta do cumprimento da lei.  Enquanto estava escrevendo este texto, por coincidência, nos falamos ao telefone nesta manhã de sábado. 

Falavamos exatamente sobre esta situação brasileira que inverteu completamente a sociedade. Quem denuncia precisa deixar o país pois o denunciado é protegido pelo Estado. O errado, no Brasil, é o certo ou se preferir o certo, no Brasil, é o errado.

Em breve vocês conhecerão o Augusto e sua história. A perseguição que sofreu, processos e tudo mais por ter mostrado a verdade. O blog do Augusto em que narra toda a sua história é este aqui: Atalho Acadêmico. Ao lado direito, o blog está relacionado como um dos meus preferidos e a qualquer instante você poderá acessa-lo daqui, Vale a pena conferir. 

Neste texto (clique aqui) Augusto fala sobre a relação MPF e Denunciante. 

Força Augusto, estamos juntos até o fim!
Vamos ao HANGOUT!!

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Revenge!

Demorou mas está ai. O futuro desempregado Carlos Mosconi está usando seus últimos suspiros para vingar-se de sua base política. Inconformado por ter perdido a eleição, o momento é de fazer vítimas. 

Segundo esta reportagem (clique aqui para ler) a Santa Casa de Misericórdia de Poços de Caldas começou a demitir funcionários. O hospital atravessa um crise muito grande (que já se arrasta desde 2000 quando o tráfico de órgãos foi interrompido), mas só agora (14 anos depois) resolveram tomar medidas drásticas.

Dos 750 funcionários, 21 foram demitidos. A dívida ultrapassa R$ 1,4 milhão, e a estratégia é minimizar esta divida demitindo 21 funcionários, escolhidos a dedo. Obviamente que dentre estes 21, nenhum é parente de Mosconi (ele tem vários parentes empregados pela Santa Casa). Agora o hospital está dizendo que a Secretária de Saúde Estadual não repassa mais verbas. Quem diria? A Secretaria de Saude do governo Anastasia (PSDB) deixou a saúde a ver navios. 

Eu já esperava por esta vingança. Esta máfia é vingativa. Por outro lado esta é a forma que Mosconi tem de dizer a todos que sem ele, as coisas serão ruins. Havia um acordo de cavalheiros (nem tanto). Mosconi explora, e todo mundo mama. Sem Mosconi, acabou a mamata. 

O Ministério da Saúde já repassou este ano 19 milhões para a entidade além de outros 5,6 milhões em incentivos. O novo hospital prometido por Mosconi já tinha consumido 15 milhões. É o show do milhão!

Finalmente com o salário destes 21 empregados demitidos, as contas (1,4 milhão) devem ser equilibradas. Não sei como esta matemática funciona, mas estes 21 deviam ganhar muito bem. 

Ai ai ai... Sem Mosconi a vida é um inferno não é mesmo? Pelo menos é o que ele quer que pareça.

domingo, 9 de novembro de 2014

Pedófilo estuprador da máfia do tráfico de órgãos, foi agraciado com prisão domiciliar.

O TJMG (a jagunçada de BH) aprontou mais uma. Lourival da Silva Batista, ex-presidente da Associação dos Renais Crônicos de Poços de Caldas (PRORIM), condenado a 10 anos por estupro de vulnerável, está solto.

A PRORIM para quem não sabe, controlava os pagamentos dos seus associados, oferecendo aos mesmos vantagens (transplantes de rins fora da fila) mediante a doações em dinheiro e mensalidade em dia (sim caros amigos, o candidato a um rim precisava pagar mensalmente uma quantia). Esta associação, contrariando a lei, tinha acesso a prontuários médicos e documentos sigilosos de seus pacientes. Funcionava no mesmo andar do prédio onde Álvaro Ianhez mantinha uma central clandestina de transplantes e seu consultório particular. Tudo acontecia a luz do dia, com a proteção de Carlos Mosconi (desempregado a partir de janeiro).

Lourival da Silva Batista foi pego em flagrante abusando sexualmente da neta de sua esposa, uma menina de 9 anos de idade. A imprensa do Sul de Minas escondeu este caso e não publicou sequer uma linha. Preso, conseguiu com um médico da máfia - João Goes Brandão (já condenado por tráfico de órgãos e aguardando recursos) -, um atestado alegando que Lourival precisava ser internado. Como não poderia deixar de ser, o local escolhido para abrigar o estuprador foi a Santa Casa de Poços de Caldas, o hospital dos horrores. 

A Santa Casa de Poços de Caldas era o local onde pessoas tinham os órgãos retirados quando ainda estavam vivas, em coma, para abastacer os clientes da máfia. Lourival era peça fundamental no esquema, pois ele era o contato, em muitas oportunidades, da máfia com os clientes. Lourival foi o primeiro cliente da máfia e teve um rim implantado na década de 90 pelas mãos de Carlos Mosconi.

Incrível como tudo se encaixa não é mesmo? Isto se chama máfia.

Apesar da farsa em relação ao estado de saúde de Lourival, o esconderijo do pedófilo da máfia de tráfico de órgãos de Poços de Caldas durou pouco e ele foi enviado ao presídio da cidade. Lourival alega ainda hoje, que sofre com problemas nos rins e precisa de atendimento médico 24 horas. Por sorte dele, e para o azar da criança que ele abusou, o rim parece não ser um obstáculo quando o assunto é sexo. Tudo parece funcionar perfeitamente para Lourival, especialmente quando precisa abusar de crianças. 

Enquanto crianças morrem por falta de um leito de UTI, como foi o caso de Weslei Silva em Santa Catarina, a justiça garante a um estuprador assistência médica especializada 24 horas. E tudo pago com dinheiro dos seus impostos (isto inclui justiça e assistência médica). 

Atualmente o estuprador goza de prisão domiciliar. Não vai cumprir pena em presídio e sim em casa, quem sabe, visitando a netinha. 

A jagunçada (TJMG) está vibrando! 

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tribunal de Jagunços de Minas Gerais (TJMG)

O TJMG (Tribunal de Jagunços de Minas Gerais) conseguiu enrolar o suficiente para que o caso da Máfia de tráfico de órgãos ficasse a ver navios mais um ano. Todo mundo solto, recursos não são julgados, julgamentos não são realizados.

Antes de mais nada, quero justificar o parágrafo anterior onde chamo o tribunal de jagunços.

Segundo o dicionário brasileiro

Jagunço ou capanga é o nome que se dá, no nordeste brasileiro, ao indivíduo que, prestava-se ao trabalho paramilitar de proteção e segurança às lideranças políticas.
O caso Pavesi é assim. Estão protegendo lideranças políticas com o uso de técnicas sujas e baixas, e até paramilitares - por que não dizer milícias? Carlos Henrique Marcondes, assassinado como queima de arquivo (cujas investigações simplesmente não andam), não me deixa mentir. E a testemunha assassinada durante a hemodiálise??? (Cujas investigações também não se desenvolvem).

Se o caso não tivesse provas, já teria sido facilmente arquivado. A prorrogação do caso só demonstra que o crime ocorreu, e o Tribunal de Jagunços (TJMG) tenta ganhar tempo para inventar uma saída estratégica que salve tais lideranças. Ora, todo brasileiro sabe que eles nem precisam disso. Basta dar uma canetada e jogar tudo no saco preto dos escândalos e abusos que o Estado vem comentendo ao longo de sua história. Vai ficar feio? Vai sim, mas e dai? Alguém vai mudar isso?

O Tribunal de Jagunços funciona assim. Jagunços prendem jornalistas sem condenação, jagunços soltam traficantes de drogas mediante caixinha, jagunços vendem sentenças, jagunços soltam médicos foragidos em menos de 24 horas, jagunços suspendem processos sem qualquer motivo em uma velocidade espantosa, mas não conseguem dar um fim para um caso que já dura 14 anos. 

Quem acompanha o caso Pavesi deve se lembrar que tem médico bandido que foi condenado a 11 anos de prisão e teve a pena reduzida para 5 anos, ou seja, mais da metade foi perdoada pelos jagunços. A medida impede a prisão em regime fechado. Os recursos desta condenação estão em julgamento há quase 2 anos! 2 ANOS PARA JULGAR UM RECURSO!!!

A jagunçada não se importa com o fato do crime gravíssimo cometido contra pessoas inocentes, o os desdobramentos da impunidade adquirida. A preocupação é manter todo mundo solto! Não me surpreenderia que os jagunços transferissem este bônus de 6 anos para as costas da vítima, que mesmo morta, teria de ser encarcerada.

Não é demais lembrar que a jagunçada do Ministério Público, que até virou testemunha de defesa de quem mata criança, me processou enquanto aliviava para os assassinos. Os jagunços estão fazendo tudo o que podem e o que não podem para ajudar esta turma.  

A jagunçada está de joelhos implorando uma caixinha. O problema é que a fonte de Mosconi está secando, e esta caixinha tá difícil de sair. Não podemos esquecer que o seu boss Aécio Neves arrecadou mais de 166 milhôes para a campanha a presidência. Ele bem que poderia dar umas migalhas aos jagunços para encerrar logo o assunto. A bandidagem ficaria feliz.

A jagunçada está babando. Virando os olhos. Quase em êxtase. Estão loucos para ganhar uma graninha para derrubar tudo.

O julgamento do caso Pavesi pode trazer novidades no judiciário. Os magistrados e membros do Ministério Público, devem abolir as togas e assumir o traje de couro, símbolo máximo dos jagunços.

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Mosconi o intimidador!

Mais uma denuncia de intimidação chegou a minha caixa de e-mails. Como sempre, as pessoas pedem para manter o anonimato, com medo de que venham a ser prejudicadas no futuro. Eu obtive a permissão para publicar a história, sem citar nomes, e assim sendo, eis a denuncia.

Aliás, é algo curioso no comportamento humano. Os que denunciam e falam a verdade, que tentam combater o que é errado, precisam esconder os rostos, as identidades e manterem-se reclusos. Os que matam, ferem, e destróem a moral e os bons costumes, podem sempre exibir-se sem receios e recebem aplausos. Alguns recebem até votos.

Uma funcionária do Estado de Minas Gerais, lotada na Secretaria de Educação, descobriu há poucos dias que durante as eleições, o departamento onde trabalha recebeu ligações do deputado Mosconi, pedindo que tomassem providências contra esta funcionária, pois a mesma estava usando seu Facebook para republicar meus textos e posts sobre o mafioso.

Concursada e efetiva, nada puderam fazer. Cada cidadão tem a livre liberdade de manifestar suas opiniões e pensamentos. Ainda não estamos na era do prende e arrebenta, embora em Minas isto vem sendo praticado com a ajuda de autoridades. 

A historia que ela narra coincide com outras histórias que já recebi e repassei ao Ministério Público, que nada fez. Há um rapaz que foi obrigado a se afastar dos posts do meu blog e proibido de republica-los em sua página do Facebook. Ele não tem cargo público e trabalha para uma empresa privada, cujo dono é amigo do filho de Mosconi. O filho de Mosconi, aquele condenado por sonegação fiscal, foi até a empresa e pediu para que o proprietário tomasse providencias. Pai de dois filhos, o rapaz se viu obrigado a calar a boca para não perder o sustento de sua família. 

Os tempos mudaram? Talvez. Veremos nos próximos meses o que acontecerá. Os generais do Sul de Minas perderam bastante poder e tudo indica que as coisas serão diferentes. As ameaças continuarão como sempre, pois este é o método da máfia em todos os países. Mas a eficácia destas ameaças talvez mude. Só nos resta esperar.

Estou trabalhando com muito esforço no segundo livro que será lançado em breve, ainda sem previsão, que vai trazer mais informações sobre as atividades desta máfia. Como sempre, com nome, endereço e detalhes.